Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Febre Amarela
Palmeira lança Campanha Municipal de Vacinação contra a Febre Amarela

Publicado em 15/01/2021 às 19:49 - Atualizado em 15/01/2021 às 19:49

A Prefeitura de Palmeira está lançando, nesta sexta-feira, 15, uma mobilização municipal para vacinação contra a Febre Amarela. Apesar de ser uma vacina com estoque recorrente na Secretaria, a mobilização municipal foi lançada em virtude das notificações recentes de morte de macacos Bugio no interior do município. 

Na quarta-feira, 12, a equipe da Secretaria de Saúde recebeu notificação de que alguns moradores haviam encontrados restos mortais de alguns macacos na localidade de Mato Escuro. A equipe se deslocou prontamente até o local e constatou que os corpos dos primatas já estavam em avançado estado de decomposição, o que não permitia mais coleta de material para testagem e determinação da causa da morte. O que torna suspeito que os macacos tenham morrido por Febre Amarela é o fato de que estavam próximos uns aos outros.

Diante dos fatos, a prefeita Fernanda Cordova determinou uma reunião de emergência para uma resposta imediata da Secretaria, o que aconteceu já na tarde de quinta-feira, 14, para o planejamento da Campanha Municipal de vacinação contra a Febre Amarela, que acontece já a partir da próxima terça-feira, 19. "Nossa cidade tem uma cobertura vacinal contra a Febre Amarela de cerca de 53%, segundo os dados do E-Sus, então independente desta questão da morte dos macacos, é importante conscientizar a população quanto à necessidade de se imunizar contra a doença", apontou a prefeita Fernanda Cordova.

 

A Campanha 

Conforme o Secretário de Saúde, Celito Baldessar, a campanha começa já a partir da próxima semana. No período entre os dias 18 de Janeiro e 08 de fevereiro a concentração da vacinação será às terças-feiras, de 08h às 17h. A partir de 06 de fevereiro será todos os dias da semana. O "Dia D" de imunização será no sábado, dia 13 de Fevereiro, também das 08h às 17h. A restrição do dia de vacinação se dá em virtude do planejamento prévio da Secretaria já se preparando para a vacinação contra a Covid. "Temos profissionais que estão em férias, já pensando no planejamento para a demanda que virá relacionada à vacinação da COVID, por isso estamos concentrando a vacinação, nestes primeiros dias, nas terças-feiras", explicou Baldessar.

 

A Febre Amarela

É uma doença infecciosa febril aguda, que pode levar à morte em cerca de uma semana se não for tratada rapidamente. Em ambiente silvestre, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus, e os macacos são os principais hospedeiros. Os casos humanos ocorrem quando uma pessoa não vacinada entra em contato ou mora próximo às matas e é picada por um mosquito contaminado. No ciclo urbano, o vírus é transmitido ao homem pelos mosquitos Aedes aegypti. O Brasil não registra febre amarela urbana desde 1942.

 

Quem precisa se vacinar

Santa Catarina se tornou Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para a Febre Amarela. Todas as pessoas com idade a partir de 9 meses, que nunca tomaram a vacina, precisam ser imunizadas. Adultos que já tenham tomado a vacina já estão imunizados e não precisam tomar outra dose.

No caso de pessoas acima dos 60 anos de idade, grávidas e lactantes é necessária uma avaliação médica antes de a pessoa se submeter à vacinação. 

 

Quem não deve tomar a vacina

  • Crianças menores de 9 meses de idade.
  • Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza. 
  • Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 < 200 células/mm3 ou menos de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 6 anos. 
  • Pacientes submetidos a transplante de órgãos. 
  • Pacientes com imunodeficiência primária; 
  • Pacientes com neoplasia. 
  • Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (gelatina bovina, ovo de galinha e seus derivados, por exemplo). 
  • Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica). 
  • Mulheres amamentando crianças menores de seis meses 

Informações Relacionadas